terça-feira, 30 de dezembro de 2014


«A atenção foi-me conduzindo ao assombro. Na realidade, tanto mais crescemos como pessoas quanto mais nos deixamos surpreender pelo que acontece; quer dizer, quanto mais criança somos.»
Pablo D´Ors in "A Biografia do Silêncio"

sábado, 27 de dezembro de 2014

QUANDO A GENTE FALA


«Quando a gente fala, as palavras são só a Letra. 
O resto, é tudo Música: corpo, gestos, silêncios, vibração... 
Essa Musica é o que mais interessa!
A Letra do que a gente diz só é ouvida como coisa séria e boa se a Música for coisa boa e séria. Bem-Dizer é Contar e Cantar ao mesmo tempo.»

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

A LIÇÃO DA MANJEDOURA


«Deus entra na nossa história não pela via da opulência, mas pela via da humildade.

O sinal de Deus não está num palácio. Está numa manjedoura. (...)

Divino (eis a permanente interpelação) não é o grande caber no grande. Isso qualquer humano consegue. Divino é o infinitamente grande caber no infinitamente pequeno. (...)

Há, aqui, uma inversão de valores, reconhecida, aliás, por Maria no Magnificat: humilhação dos soberbos e exaltação dos humildes (cf. Lc 1, 52).

De facto, Deus inverte o máximo e o mínimo, o maior e o menor, o grande e o pequeno.

O máximo é o que parece mínimo. O maior é o que se apresenta como menor. O verdadeiramente grande é o que nos surge como pequeno.

Quando aprenderemos a lição da manjedoura?»

Fonte: http://theosfera.blogs.sapo.pt/2267552.html

terça-feira, 23 de dezembro de 2014


«A história de Jesus nos diz que não dependemos de nascimentos palacianos ou ditos normais. É no amor que nascemos de Deus e para uma vida bonita.»

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

AINDA É NOITE

Um dia, um rabino perguntou aos seus discípulos:
«Como se pode dizer que a noite terminou e o dia está de volta?»
Um discípulo sugeriu:
«Quando se pode ver claramente que um animal, à distância, é um leão e não um leopardo.»
«Não», disse o rabino.
Um outro disse: «Quando se pode ver que uma árvore tem figos e não pêssegos?»
«Não», disse o rabino, «é quando se pode olhar para a face de outra pessoa e ver que aquela mulher ou aquele homem é vossa irmã ou vosso irmão. Porque enquanto não forem capazes de o fazer, seja qual for o tempo do dia, ainda é noite».
Timothy Radcliffe, in "Ser Cristão para quê?"

sábado, 20 de dezembro de 2014

SÓ QUEM NOS AMA


Só quem nos ama deposita 
no fundo da terra oscilante do nosso coração 
uma semente de bondade, 
um fragmento de amanhã.

José Tolentino Mendonça

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

O QUE É UM ABRAÇO?


O que é um abraço?
Um lugar que ainda não existia
e que juntos encontramos.

José Tolentino Mendonça, in "A Mística do Instante"

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

sábado, 13 de dezembro de 2014

ATIRAR-SE PARA OS BRAÇOS DA VIDA

«Deus espera por nós em tudo o que encontramos. 
Não se trata de reentrar na esfera íntima e esquecer tudo o resto. 
O desafio é estar em si e experimentar com todos os sentidos a realidade daquilo e daquele que vem.
O desafio é atirar-se para os braços da vida e ouvir aí o bater do coração de Deus. 
Sem fugas. Sem idealizações. Os braços da vida como ela é.»

José Tolentino Mendonça, in "A Mística do Instante"

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014


«O Inverno conspira para que surjam inesperadas flores.»
José Tolentino Mendonça, in "A Mística do Instante"

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

O AMOR E A VIDA


«O amor e a vida são frágeis. Sua força invencível vem da ternura com a qual os cercamos e sempre os alimentamos.»
Leonardo Boff

domingo, 16 de novembro de 2014

ESTA GENTE


Esta gente cujo rosto 
Às vezes luminoso 
E outras vezes tosco

Ora me lembra escravos 
Ora me lembra reis

Faz renascer meu gosto 
De luta e de combate 
Contra o abutre e a cobra 
O porco e o milhafre

Pois a gente que tem 
O rosto desenhado 
Por paciência e fome 
É a gente em quem 
Um país ocupado 
Escreve o seu nome

E em frente desta gente 
Ignorada e pisada 
Como a pedra do chão 
E mais do que a pedra 
Humilhada e calcada

Meu canto se renova 
E recomeço a busca 
De um país liberto 
De uma vida limpa 
E de um tempo justo


Sophia de Mello Breyner Andresen, in "Geografia"
http://amalia2112.blogspot.com.br/2014/10/esta-gente.html

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

PERSEVERANÇA


«Jogo a minha rede no mar da vida e às vezes, quando a recolho, descubro que ela retorna vazia. Não há como não me entristecer e não há como desistir. Deixo a lágrima correr, vinda das ondas que me renovam, por dentro, em silêncio: dor que não verte, envenena. O coração marejado, arrumo, como posso, os meus sentimentos. Passo a limpo os meus sonhos. Ajeito, da melhor forma que sei, a força que me move. Guardo a minha rede e deixo o dia dormir.
Com toda a tristeza pelas redes que voltam vazias, sou corajosa o bastante para não me acostumar com essa ideia. Se gente não fosse feita pra ser feliz, Deus não teria caprichado tanto nos detalhes. Perseverança não é somente acreditar na própria rede. Perseverança é não deixar de crer na capacidade de renovação das águas.
Hoje, o dia pode não ter sido bom, mas amanhã será outro mar. E eu estarei lá na beira da praia de novo.»

Ana Jácomo

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

SÓ AS CRIANÇAS...


"Só as crianças habitam esse tempo no qual todas as coisas duram para sempre."
José Eduardo Agualusa

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

COMO CONSEGUI CHEGAR TÃO LONGE?




Como consegui chegar tão longe?
(E sempre em sendas tão escuras?)
Devo ter viajado pela luz
Brilhando nas faces de todos os que amei.

Thomas McGrath, «Poem», in Selected Poems:1938-1988

terça-feira, 4 de novembro de 2014

CULTIVAR A INTERIORIDADE


«Já conheci pessoas bonitas de todos os géneros - baixas, altas, gordas, magras, com esta ou aquela particularidade - e a conclusão é sempre a mesma: a beleza física é, de todas as belezas, a mais superficial, a mais frágil, a mais volátil! Ou a pessoa tem bondade e profundidade ou a beleza exterior acaba por cair como uma máscara e deixar-nos sem nada. Se aquela pessoa cultivou a interioridade, ela emerge e prevalece - isso acontece mesmo naquelas pessoas por quem não dávamos nada. Por isso é que a confiança e a alegria de viver fazem pela beleza de uma pessoa o que cirurgias estéticas, maquilhagens, roupas ou dietas são incapazes de fazer. No fim de contas, a melhor operação de charme é mesmo a alegria.»

sábado, 1 de novembro de 2014

terça-feira, 28 de outubro de 2014


«Dentro da tua noite fixa o brilho de uma estrela.»
José Tolentino Mendonça, in "Mística do Instante"

sábado, 25 de outubro de 2014



«Uma das perdas mais trágicas é a capacidade do espanto. Quando perdemos a abertura ao desconhecido, a capacidade de encantamento com o real, quando entramos numa espécie de indiferença que não está longe do cinismo...
O modelo da criança, da infância, é o contrário do cinismo, é a construção de uma inocência, de um olhar desarmado da realidade, que seja capaz de acolher o perfume que nos chega através da multiplicidade de portas que cada instante tem.»

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

DEIXA-TE ENCANTAR


«A infância é quando ainda não é demasiado tarde. 
É quando estamos disponíveis para surpreendermos, para nos deixarmos encantar.»
Mia Couto

domingo, 19 de outubro de 2014

NÃO DESISTIR



“Não importa o quanto às vezes seja difícil, o quanto às vezes eu me atrapalhe, o quanto às vezes eu seja a densa nuvem que esconde o meu próprio sol, quantas vezes seja preciso recomeçar: combinei comigo não desistir de mim.
Quanto mais o tempo passa, mais amorosamente, mais contente, mais compassiva, eu cumpro esse trato.”
Ana Jácomo

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

O AMOR É QUANDO A GENTE MORA UM NO OUTRO


«O amor é quando a gente mora um no outro» (Mário Quintana)
«Amar significa abrir-se, romper o círculo do isolamento, habitar esse milagre que é conseguirmos estar plenamente connosco e com o outro. O amor é o degelo.
Constrói-se como forma de hospitalidade (o poeta brasileiro Mário Quintana escreve que «o amor é quando a gente mora um no outro»), mas pede dos que o seguem uma desarmada exposição.
Os que amam são, de certa maneira, mais vulneráveis. Não podem fazer de conta. Se apetece cantar na rua, cantam. Se lhes der para correr e rir debaixo de uma chuvada, fazem-no. Se tiverem subitamente de dançar em plena rua, iniciam um lento rodopio, sem qualquer embaraço, escutando uma música aos outros inaudível.»
José Tolentino Mendonça, in "Mística do Instante"

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

AGRADECE


«Agradece a dança luminosa do mundo em teu redor.»
José Tolentino Mendonça, in "Mística do Instante"

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

PRÉMIO NOBEL DA PAZ


Merecidamente atribuído. Esta menina é um exemplo de coragem, determinação e altruísmo.
Malala Yousufzai tornou-se conhecida pela sua defesa do direito universal à educação em todo o mundo. Em 2013, a paquistanesa de 17 anos foi galardoada com o Prémio Sakharov, atribuído pelo Parlamento Europeu. Torna-se agora a mais jovem vencedora de um Prémio Nobel.
Em 2012, fez esta quinta-feira dois anos, a jovem foi alvo de um atentado por um grupo de taliban que controlava a região paquistanesa onde vivia. Malala sobreviveu e tornou-se uma das vozes mais ouvidas na área dos direitos das crianças à educação. Entre as muitas acções em que participou, sublinha-se o discurso da jovem na sede da ONU em Nova Iorque em que apelou à tolerância e compreensão entre os povos.
O dia 12 de Julho, data do seu aniversário, foi baptizado pela ONU como o “Dia de Malala”. Há um ano foi publicada a sua biografia, Eu Malala, da autoria da jornalista britânica Christina Lamb.

EU, MALALA



«O meu mundo mudou muito. Nas estantes da nossa sala de estar arrendada há prémios de todo o mundo - América Latina, Índia, França, Espanha, Itália, Áustria e muitos outros países. Fui até nomeada para o prémio Nobel da Paz (...)
Estou grata por eles, mas são prémios que a única coisa que fazem é deixar bem presente o muitíssimo trabalho que há ainda a fazer para alcançar o objetivo de haver educação para todos os rapazes e todas as raparigas.
Não querem que pensem em mim como a «menina que foi alvejada pelos talibãs», mas sim como a «menina que lutou pela educação». Esta é a causa a que quero dedicar a minha vida.»
Malala Yousafzai, in "Eu, Malala"

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

O ESSENCIAL DA VIDA


“São as crianças que, sem falar, nos ensinam as razões para viver. Elas não têm saberes a transmitir. No entanto, elas sabem o essencial da vida.” 

Rubem Alves

domingo, 28 de setembro de 2014

UM PEQUENO PASSO


«As sociedades, a nossa sociedade, qualquer sociedade dá um passo de gigante na sua humanização quando, cada um de nós, não deixa de dar o seu passo, por mais pequenino que seja. No meio de tanta loucura e monstruosidade nos conflitos que acontecem um pouco por todo o mundo, o nosso pequenino passo de BEM é como uma lufada de ar fresco num dia tórrido de verão.»

Grão de Mostarda - https://www.facebook.com/graode.mostarda?fref=ts

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

VIDA


«O único impossível é o que julgarmos que não somos capazes de construir. (...)


Havemos de repetir as vezes que forem necessárias: temos direito a viver. Nunca duvidámos de que somos muito maiores do que o nosso currículo, o nosso tempo não é um contrato a prazo, não há recibos verdes capazes de contabilizar aquilo que valemos. 

Vida, se nos estás a ouvir, sabe que caminhamos na tua direcção. A nossa liberdade cresce ao acreditarmos e nós crescemos com ela e tu, vida, cresces também. Se te quiserem convencer, vida, de que é impossível, diz-lhe que vamos todos em teu resgate, faremos o que for preciso e diz-lhes que impossível é negarem-te, camuflarem-te com números, diz-lhes que impossível é não teres voz.»

José Luís Peixoto, in 'Abraço'

domingo, 21 de setembro de 2014

SER GRANDE


Ser grande não é chegar onde ninguém chega. 
Ser grande é chegar a muita gente.

- "Pai, como é que eu cresço?", perguntou ele dando um salto. "É assim?", e deu outro.
Pai sorriu... Omi Garandi, treinado nos saberes da vida. Chamou o filho e mandou-o vir com os outros amigos. 

- "Dá-lhes as mãos", disse ele, devagaroso.
Os pequenos entreolharam-se e deram as mãos uns aos outros.
- "É assim, filho. É assim que humano cresce. Só homem pequeno quer crescer para cima. Omi ki bali pena cresce pelas mãos, cresce para os outros. Ser grande não é chegar onde ninguém chega. Ser grande é chegar a muita gente."

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Mesmo que faça frio
não aproximes do fogo
um coração de neve

José Tolentino Mendonça, em "A Papoila e o Monge"

terça-feira, 24 de junho de 2014

QUERO APENAS CINCO COISAS


Quero apenas cinco coisas..
Primeiro é o amor sem fim
A segunda é ver o outono
A terceira é o grave inverno
Em quarto lugar o verão
A quinta coisa são teus olhos
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser... sem que me olhes.
Abro mão da primavera para que continues me olhando.

Pablo Neruda

domingo, 22 de junho de 2014

ABUNDÂNCIA INTERIOR


«A nossa excessiva dependência do que nos é exterior, além de ser sintoma de um mal-estar interior em busca de compensações, também nos torna incapazes de estabelecer relações autênticas. (...) Precisamos de atravessar o nosso território interior e nele descobrir a fonte da alegria. (...)

A sede, saciamo-la nesta fonte que se nos oferece. Não busquemos fora o que jorra dentro de nós. Quem faz esta experiência dentro de si, aprende a gratuidade. (...) 

Há uma abundância interior que gera um grande desprendimento na relação com as coisas.»

Carlos Maria Antunes, em "Só o Pobre se faz Pão"

sexta-feira, 20 de junho de 2014

CONVITE


Vamos, ressuscitados, colher flores!
Flores de giesta e tojo, oiro sem preço...
Vamos áquele cabeço
Engrinaldar a esperança!
Temos a Primavera na lembrança;
Temos calor no corpo entorpecido;
Vamos! Depressa!
A vida recomeça!
A seiva acorda, nada está perdido!

Miguel Torga, in "Diário IX"

quarta-feira, 18 de junho de 2014

PROCURO O MELHOR DE MIM

Procuro o melhor de mim…
o meu verdadeiro Rosto, 
o meu verdadeiro Nome, 
tal como sou conhecido e chamado por Deus no meu íntimo, 
a verdadeira identidade do meu Coração, 
que até a Deus encanta… 

Procuro a capacidade de acreditar em mim como Deus acredita,
de me ver como Ele me vê a ponto de descobrir dentro de mim maravilhas, possibilidades, fortalezas e belezas que nem imaginava que me habitassem…

Rui Santiago Cssr

domingo, 15 de junho de 2014

DAR-SE


"Não é o mesmo ‘dar’ e ‘dar-se.’ (….) Dar-se é colocar-se a própria pessoa, por completo e sem condições, à disposição de alguém, dos outros, de uma causa, de um projeto… Com frequência, como não estamos dispostos a dar-nos a nós mesmos aos outros, damos coisas…" 


José Maria Castillo, “La Religión de Jesús – Comentarios al Evangelio”, Desclée de Brouwer Bilbao (Espanha), 2010

quinta-feira, 12 de junho de 2014

AMOR E LIBERDADE



"Se tiveres problemas com alguém nada mais precisas, para os resolver, do que lhe dar amor e liberdade."

Agostinho da Silva

terça-feira, 10 de junho de 2014

"AMIGOS E INIMIGOS IMAGINÁRIOS"

«Há crianças que se alegram com a companhia de "Amigos Imaginários". Há adultos que se martirizam com a companhia de "Inimigos Imaginários".

Quando a cabeça está vazia 
e o coração desocupado de sonhar, 
a vida torna-se um sótão 
cheio de tralhas velhas 
e monstrengos imaginários.»

Rui Santiago Cssr

domingo, 8 de junho de 2014

(RE)DESCOBRIR A VERDADEIRA ALEGRIA


«Só um coração iluminado pode reparar nas muitas flores que se encontram nos caminhos que percorremos todos os dias, porque um coração iluminado sabe, por experiência própria, que nos alicerces da alegria está o que é frágil, o que não conta, o que de algum modo é marginal, o que não é da ordem do necessário, mas do gratuito.

Quando vivemos radicados no coração, os nossos dias tão iguais podem transformar-se na mais bela oração: «Vela com todo o cuidado sobre o teu coração, porque dele jorram as fontes da vida.» (Pr 4,23)

Carlos Maria Antunes, em "Só o Pobre se faz Pão"

sexta-feira, 6 de junho de 2014

ABERTURA DE CORAÇÃO


«O coração é o nosso sol, 
o nosso pequeno sol pessoal. 
Graças ao coração, 
damos luz e calor a quem nos rodeia. 
Graças ao coração, 
a nossa vida está cheia de alegria e de partilha. 

A abertura do coração
é o único antídoto real contra a barbarização da nossa época. 
É esse o grande caminho a percorrer 
para que o futuro não seja um tempo de desolação, 
mas de construção e esperança.»

Susanna Tamaro, em "Querida Mathilda"

quarta-feira, 4 de junho de 2014

A REVOLUÇÃO DA ESPERANÇA

Não se caminha quando não se acredita.
Não se estende a mão quando não se ama.
Não se muda quando nada se espera.

André Malraux foi claro: «A força da revolução é a esperança».

Não precisa de disparar tiros nem de gritar frases fortes.
A maior revolução é feita de paciência.
Não cuida apenas dos resultados.
Nunca descuida as raízes nem desperdiça os alicerces.
A revolução da esperança está em marcha.
Embora não pareça.
Sobretudo porque não parece.

O essencial não se vê.
Mas o essencial está a emergir!

Fonte: http://theosfera.blogs.sapo.pt/1379225.html

segunda-feira, 2 de junho de 2014

A PORTA DE SAÍDA DO INFERNO




No filme Gandhi, de Richard Attenborough, há, quase no final, uma cena de grande força espiritual, só protagonizável por pessoas que pairam acima das diferenças políticas, sociais ou religiosas. Gandhi estava entregue a um rigoroso jejum, já muito debilitado, quase a morrer, pois não aceitava que a Índia, ao libertar-se dos ingleses, se dividisse entre hindus e muçulmanos. (Na verdade, ele viria a ser assassinado, pouco depois, por um separatista).

Estava deitado no seu colchão, quando se apresentou um hindu que lhe disse merecer o inferno.
Gandhi perguntou-lhe:
- Porque falas assim? Que fizeste?
- Matei uma criança muçulmana, confessou envergonhado.
- Por que razão?
- Porque eles também mataram o meu filho.

Gandhi, então, ensinou-lhe com extrema doçura:
- Há uma porta de saída do inferno: a de tolerância, a do perdão, a da boa convivência.
Agora, vai e adopta uma criança muçulmana e não tentes mudar as suas convicções religiosas. Deixa-a viver como muçulmana.

sábado, 31 de maio de 2014

SER COMPANHEIRO

"Ser companheiro vale mais do que ser chefe. É preciso que os homens à sua volta nunca tenham nenhuma angústia, não sofram nunca por o sentirem a você superior a eles; a sua superioridade, se existir, deve ser um bálsamo nas feridas, deve consolá-los, aliviar-lhes as dores. 
A sua grandeza, querido Amigo, deve servir para os tornar grandes, no que lhes é possível, não para os humilhar, para os lançar no desespero, no rancor, na inveja."

Agostinho da Silva, in "Sete Cartas a um Jovem Filósofo"

quinta-feira, 29 de maio de 2014

UM DESAFIO

«Pôr em causa o que temos e desejamos em função da partilha, e não pôr a partilha em função do que temos e do que desejamos».
Rui Santiago Cssr

terça-feira, 27 de maio de 2014

RECEITA POÉTICA CONTRA OS MALES DA ALMA

"Quando Adoeci dos escuros, médico em tom de passarinho me receitou verbos pra se praticar entre as alternâncias de mim.
São eles:
... lavar os (in)cômodos que vivem na casa-de-dentro
...levar o coração para tomar sol
Multiplicar os sorrisos e repartir o perdao. Somar silêncios.
Jogar fora ressentimentos e outros lixos que se 
acumularam nos cantos do corpo e da mente
...Desintoxicando o próprio futuro.
Alimentar-se de luz e enfeitar-se de disposição.
Vestir coragem e despir-se do medo;
... namorar os dias
Apaixonar-se muitas vezes, por muitas coisas na vida
Viver por inteiro para depois, morrer de rir,
Filtrar a Alma no rio do tempo"

Guilherme Antunes

sábado, 24 de maio de 2014

MAIS QUE TUDO...



“Mais que tudo quero ter
pé bem firme em leve dança
com todo o saber de adulto
todo o brincar de criança.”

Agostinho da Silva

quinta-feira, 22 de maio de 2014

AQUELE QUE VIVE NO AMOR

«Aquele que vive no amor, mesmo tendo poucas coisas, vive na abundância. 

Amado, é livre. 
Por isso, não teme. 
E, não temendo, não precisa de acumular coisas, 
nem de fingir ser o que não é, 
nem de recear o amanhã. 
Não se incha, querendo ser o que não é. 
Não se diminui, deixando de ser o que é. 
Esvaziado de «coisas incertas», vive de graça. 
Na verdade, vive a graça.»

P. José Frazão Correia, in "Entre-tanto"

terça-feira, 20 de maio de 2014

A CADA DIA...

«A cada dia que vivo mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-se do sofrimento, perde também a felicidade.»

Clarice Lispector

domingo, 18 de maio de 2014

CORAÇÃO E LIBERDADE



«O decisivo é o "coração", esse lugar secreto e íntimo da nossa liberdade onde não nos podemos enganar a nós mesmos.»

José António Pagola

sexta-feira, 16 de maio de 2014

NÃO HÁ NADA MAIS BELO


«Não há nada mais belo do que alguém que renunciou ao dever mundano de ser brilhante ou de agradar.»

Christian Bobin

quinta-feira, 15 de maio de 2014

DISTÂNCIAS



«De um apartamento ao outro - dez metros. 
As distâncias menores são as mais intransponíveis.» 

Christian Bobin

terça-feira, 13 de maio de 2014



Há tanto para ser quanto há para amar.
Há tanto para viver quanto há para dar.

domingo, 11 de maio de 2014

HOMENAGEM ÁS MÃES


«Ela é bela, graças a este amor de que se despoja , a fim de com ele revestir a nudez do menino. 
É bela, pela solicitude com que acorre, uma e outra vez, ao quarto da criança. 

Todas as mães possuem esta beleza. 
Todas têm esta justeza, esta verdade, esta santidade.
Todas as mães têm esta graça que causa ciúmes ao próprio Deus...

A beleza das mães supera infinitamente a glória da natureza. .
Ser mãe é um mistério absoluto, um mistério que não se assemelha a nada...

Não existe santidade maior que a das mães esgotadas pelas fraldas lavadas, pelo aquecer da papa, pelo banho a dar...

A maternidade é o que sustenta o fundo de tudo.
A maternidade é a superação do cansaço...»

Christian Bobin, em "Francisco e o Pequenino"

sexta-feira, 9 de maio de 2014

SENSIBILIDADE E DELICADEZA


«Complicamos mais a vida quando nos distraímos da nossa missão de amar aqueles que Deus mesmo nos ofereceu como um presente...

Aprender a estar atento aos pormenores mais humanos e simples da vida é uma arte que nunca nos ocupará demasiado a ensaiar. Cultivar a vigilância às minúcias da sensibilidade e da delicadeza é uma sabedoria que nos merece toda a dedicação.

A Vida muitas vezes pode ser a História das pequenas coisas tão importantes que deixámos ficar para trás... e esta perspectiva é assustadora, não é?»

Rui Santiago Cssr, em "Como um Diário...Também nos despedimos de quem amamos"

quinta-feira, 8 de maio de 2014

AMAR


«Amar é ter uma vastíssima memória para a Gratidão e vencer todas as insinuações do ressentimento. É tornar-se capaz de olhar para alguém na sua mais profunda verdade, pelo menos segundo a vamos conseguindo perceber...e, na sua máxima verdade, todos os seres humanos são dignos e amáveis, não correspondem aos preconceitos que ás vezes lhe colámos nem se esgotam simplesmente nas atitudes menos correctas que tiveram para connosco.

Amar é treinar-se a esperar o melhor das realizações dos outros e das nossas, sobretudo quando são feitas de um jeito diferente do que faríamos... Amar também é fazer silêncio e deixar-se estar, existir apenas com o outro, ao seu lado, até à mais radical experiência de inutilidade ou impotência. Afinal, no coração do próprio dinamismo a que chamamos "amor" está a mais pura gratuidade, não a funcionalidade.»

Rui Santiago Cssr, em "Como um Diário...também nos despedimos de quem amamos"

domingo, 4 de maio de 2014

sexta-feira, 2 de maio de 2014

«Quando um livro me diz o que eu queria dizer, sinto-me no direito de apropriar-me das suas palavras, como se alguma vez tivessem sido minhas e estivesse a recuperá-las.» 

Andrés Neuman

quarta-feira, 30 de abril de 2014

segunda-feira, 28 de abril de 2014

A DANÇA



«A dança foi a primeira forma de oração; uma oração rezada ainda com o corpo.»

 Teixeira de Pascoes 

Imagem: Vanity Fair ( 1916) com Isadora Duncan e outras

sábado, 26 de abril de 2014

A ÚNICA REVOLUÇÃO

«A única revolução definitiva é a de despojar-se cada um das propriedades que o limitam e acabarão por o destruir, propriedade de coisas, propriedade de gente, propriedade de si próprio.»

Agostinho da Silva

domingo, 20 de abril de 2014

PÁSCOA


«Vimos a pedra vazia no interior da terra
A manhã. Nós não tocámos a luz
Inesperada. Pensámos
Que já o sono sendo eterno te afastara
E que farol que foste
Agora onda após onda, brasa extinta, naufragava
Nunca mais, pensámos, dormirias na proa
E quase desaprendêramos a guiar o barco
Em nossas viagens não amainaria mais, pensámos, e chegar a casa
Seria ver multiplicar-se
A nossa fome como o peixe e como o pão
Chegámos a terra porém e esperavas-nos
Os pés furados como conchas sobre a areia
E sentámo-nos em redor para comer»
Daniel Faria, «Poesia», Lisboa 2012