sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

O AMOR DE DEUS

«O Amor vem de Deus e leva-nos para Deus para retornar a Ele através de nós e nos levar a todos de volta para Ele na corrente da sua infinita misericórdia.

Assim, todos nós passamos a ser portas e janelas através das quais a luz de Deus se reflecte no interior da sua própria casa.

Quando o amor de Deus está em mim, Deus é capaz de amar-te através de mim e tu és capaz de amar Deus através de mim. Se a minha alma estiver fechada a esse amor, o amor de Deus por ti, o teu amor a Deus e o amor de Deus por Ele próprio em ti e em mim, ficariam privados da expressão particular que encontra através de mim e de mais ninguém.

Porque o amor de Deus está em mim, ele pode chegar a ti desde uma direcção diferente e particular, que se encontraria fechada se Ele não vivesse em mim. E, porque o seu amor está em ti, pode chegar até mim desde uma direcção que não poderia tomar de qualquer outro modo. E porque está em ti e em mim, Deus recebe uma glória maior.
O seu amor exprime-se de mais duas maneiras nas quais não poderia exprimir-se de outro modo; isto é, em mais duas alegrias, que não poderiam existir sem Ele.»

Thomas Merton

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

COM OS OLHOS E O CORAÇÃO DE DEUS

"Há problemas tão graves, situações pessoais tão dolorosas e complexas, que Cristo disse: "Intervir aí só com muita oração!" Que quer isso dizer? Que vamos pedir milagres? Não. 
Quer dizer que há coisas a que só se chega quando se vêem como Deus as vê e que só se curam com o amor com que Deus ama." 


(Vasco Pinto de Magalhães, s.j. in "Não há soluções, há caminhos") 

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

UM SANTO E ABENÇOADO NATAL


Um Santo e abençoado Natal para todos vós.
Sintam-se abraçados fraternalmente.


"Ouvi contar esta história.
Uma criança com toda a naturalidade, voltou-se para Deus e perguntou-lhe:
"E tu, o que é que queres ser quando fores grande?"
"Pequeno", respondeu-lhe Deus, também com toda a naturalidade.
Os homens querem ser grandes, mas a grandeza de Deus está em tornar-se pequeno, em dar a vida, em desaparecer pelo bem do outro."

(Vasco Pinto de Magalhães, s.j. in "Não há soluções, há caminhos")

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

DEUS CONNOSCO


«Já não sabendo como fazer para ser compreendido, o próprio Deus veio à Terra, pobre e humilde: se Jesus Cristo não tivesse vivido no meio de nós, Deus permaneceria longínquo, inatingível. 
Pela sua vida, Jesus concede-nos a graça de ver Deus de forma transparente.» 


Irmão Roger, de Taizé, em "Viver em tudo a paz do coração"

sábado, 17 de dezembro de 2011

NATAL... É QUANDO UM HOMEM QUISER


Tu que dormes à noite na calçada do relento
Numa cama de chuva com lençóis feitos de vento
Tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que dormes só no pesadelo do ciúme
Numa cama de raiva com lençóis feitos de lume
E sofres o Natal da solidão sem um queixume
És meu irmão amigo
És meu irmão

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher

Tu que inventas ternura e brinquedos para dar
Tu que inventas bonecas e combóios de luar
E mentes ao teu filho por não os poderes comprar
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que vês na montra a tua fome que eu não sei
Fatias de tristeza em cada alegre bolo-rei
Pões um sabor amargo em cada doce que eu comprei
És meu irmão amigo
És meu irmão

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher...

Poema de Ary dos Santos, interpretado pelo projeto Rua da Saudade - Viviane. 



terça-feira, 13 de dezembro de 2011

DAR A OUTRA FACE

A maior parte de nós conhece esta expressão e reconhece-a como um ensinamento de Jesus. Contudo, acredito que poucos compreendem o alcance, a essência e o verdadeiro significado deste ensinamento. No livro " O Mestre dos Mestres" de Augusto Cury, podemos encontrar uma explicação interessante sobre dar a outra face.


«Cristo não falava da face física, da agressão física que compromete a preservação da vida. Ele falava da face psicológica.


Se fizermos uma análise superficial, poderemos equivocar-nos e crer que dar a outra face é uma atitude frágil e submissa. Todavia, temos de nos perguntar: dar a outra face é um sinal de fraqueza ou de força? Dar a outra face incomoda pouco ou muito uma pessoa agressiva e injusta? Se analisarmos a construção da inteligência, constataremos que dar a outra face não é um sinal de fraqueza, mas de força e segurança. Só uma pessoa forte é capaz de dar a outra face. Só uma pessoa segura dos seus próprios valores é capaz de elogiar o seu agressor. Quem dá a outra face não se esconde, não se intimida, mas enfrenta o outro com tranquilidade e segurança.
Quem dá a outra face não tem medo do agressor, pois não se sente agredido por ele, e nem tem medo da sua própria emoção, pois não é escravo dela. Além disso, nada perturba tanto uma pessoa agressiva como dar-lhe a outra face, como não responder à sua agressividade com agressividade. Dar a outra face incomoda tanto essa pessoa que é capaz de lhe causar insónia. Nada incomoda tanto uma pessoa agressiva como ter para com ela uma atitude complacente.


Dar a outra face é respeitar o outro, é procurar compreender os fundamentos da sua agressividade, é não usar a violência contra a violência, é não se sentir agredido diante das ofensas que lhe desferem. Somente uma pessoa que é livre, segura e que não gravita em torno do que os outros pensam e falam de si é capaz de agir com tanta serenidade.


Cristo era uma pessoa audaciosa, corajosa, que enfrentava sem medo as maiores dificuldades da vida. Era totalmente contra qualquer tipo de violência. Todavia, Ele não discursava sobre a prática da passividade. A humildade que proclamava não era fruto do medo, da submissão passiva, mas da maturidade da personalidade, confeccionada por intermédio de uma emoção segura e serena.
Cristo, através do discurso de dar a outra face, queria proteger a pessoa agredida, fazê-la transcender a agressividade imposta pelo outro e, ao mesmo tempo, educar o agressor, levá-lo a perceber que a sua agressividade é um sinal de fragilidade(...)
Na proposta de Cristo, o agressor passa a rever a sua história e a compreender que se esconde atrás da violência.»


Augusto Cury, em "O Mestre dos Mestres"

domingo, 11 de dezembro de 2011

NÃO TEMAS A MORTE!






"Não tenhamos medo da morte 
Não há chefe cruel, inimigo vingativo ou tirano cruel
à espera para nos destruir - 
somente um Deus que nos ama e perdoa sempre, 
ansioso por nos receber em casa." 

Henri Nouwen

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

SEM MÁSCARAS



Quando olha bem no íntimo
Através do teu sorriso
O que será que Deus vê?
Bem além da tua lógica
Bem atrás de toda a estética
O que será que Deus vê?
Um coração aflito, um espírito ferido
E uma alma já cansada de representar
Alguém desconfiado, sem um verdadeiro amigo
Com quem possa se abrir sem se envergonhar
Quando Deus te investiga
Bem no âmago da vida
Lá no teu eu verdadeiro
É que Ele quer por inteiro
Transformar a tua essência
Num baptismo de alegria
Verdadeiramente livre te fazer


Poema extraído de "outra espiritualidade" de Ed René Kivitz e atribuído a uma canção de Alisson.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

A PÉROLA PRECIOSA

Se encontrares um tesouro no teu coração
ninguém te roubará nada,
e o teu olho será a porta
onde irei penetrar e adormecer descansado;
E a tua boca produzirá
palavras que não serão apenas palavras,
serão mãos estendidas aos pobres,
serão fome e sede curadas.

Irei penetrar nos teus olhos
a caminho do teu coração.
Quando eu chegar lá,
serei curado pela batida pura,
pela bondade e compreensão.

Se encontrares uma fonte,
dá de beber ao pobre.
Se encontrares uma árvore, 
dá de comer ao pobre.
Se encontrares o tesouro no teu coração,
dá amor ao pobre.


Paulo Morgado

domingo, 4 de dezembro de 2011

DAR DE SI MESMO

"... Na morte cada um entra absolutamente só, levando consigo unicamente o que deu.
O que não deu fica aí e apodrece pouco a pouco; mas o que deu é transformado em ser e vai com a pessoa para a eternidade. 
Porque o nosso ser constrói-se com o que damos..." 

François Varillon, em "Alegria de Crer e Viver

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

SEM AMOR...

Primeiro, ama: porque a vida sem amor não vale nada, escreve José Miguel. 


A justiça, sem amor, faz-te duro 
A inteligência, sem amor, faz-te cruel. 
A amabilidade, sem amor, faz-te hipócrita. 
A fé, sem amor, faz-te fanático. 
O dever, sem amor, faz-te mal-humorado. 
A cultura, sem amor, faz-te distante. 
A ordem, sem amor, faz-te complicado. 
A agudeza, sem amor, faz-te agressivo 
O apostolado, sem amor, faz-te estranho. 
A amizade, sem amor, faz-te interessado. 
O possuir, sem amor, faz-te avarento. 
A responsabilidade, sem amor, faz-te implacável. 
A ambição, sem amor, faz-te injusto. 

Por último, ama, porque, como dizia São João da Cruz, «ao entardecer da vida, julgar-nos-á pelo amor». 

José Miguel, em José Mª Alibau, Palabras para el Silencio

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

TUDO, MENOS CORAÇÃO

Conheci um homem que passou 47 anos entrevado num quartinho abafado e morreu sem maldizer a vida.
Conheci uma mulher que criou 12 filhos, perdeu o marido cedo e nunca reclamou de nada.
Conheci uma pessoa que não tinha quase beleza física, mas só tinha lindas palavras para os outros.
Conheci uma outra que era absolutamente rigorosa consigo mesma, mas sempre foi afável para com todos.
Conheci um mendigo que cantava pelas ruas da cidade.
E conheci alguém que tinha tudo, menos coração. 

Pe. Neylor J. Tonin

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

ANTES DE AMAR-TE






Antes de amar-te, amor, nada era meu
Vacilei pelas ruas e as coisas:
Nada contava nem tinha nome:
O mundo era do ar que esperava.
E conheci salões cinzentos,
Túneis habitados pela lua,
Hangares cruéis que se despediam,
Perguntas que insistiam na areia.
Tudo estava vazio, morto e mudo,
Caído, abandonado e decaído,
Tudo era inalienavelmente alheio,
Tudo era dos outros e de ninguém,
Até que tua beleza e tua pobreza
De dádivas encheram o outono.

Pablo Neruda

domingo, 27 de novembro de 2011

A GRANDEZA DO SER HUMANO

"A grandeza do ser humano, a sua verdadeira riqueza, não está naquilo que se vê, mas naquilo que traz no coração. 
A grandeza do homem não lhe advém do lugar que ocupa na sociedade, nem do papel que nela desempenha, nem do seu êxito social. Tudo isso pode ser-lhe tirado de um dia para o outro. Tudo isso pode desaparecer num nada de tempo.
A grandeza do homem está naquilo que lhe resta precisamente quando tudo o que lhe dava algum brilho exterior, se apaga. E que lhe resta? Os seus recursos interiores e nada mais."
Etty Hillesum

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

A VIDA COMO OBRA DE ARTE

"Acho que a grande criatividade é aquela que soubermos pôr nos nossos actos: fazer da nossa vida uma obra de arte: pôr na nossa vida a nossa individualidade mais identificada e com um verdadeiro sentido estético na relação com os outros e com o mundo, é a nossa grande criação." António Alçada Baptista, em "O Riso de Deus"

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O MISTÉRIO ESTÁ TODO NA INFÂNCIA

E, por fim, Deus regressa
carregado de intimidade e de imprevisto
já olhado de cima pelos séculos
humilde medida de um oral silêncio
que pensámos destinado a perder



Eis que Deus sobe a escada íngreme
mil vezes por nós repetida
e se detém à espera sem nenhuma impaciência
com a brandura de um cordeiro doente



Qual de nós dois é a sombra do outro?
Mesmo se piedade alguma conservar os mapas
desceremos quase a seguir
desmedidos e vazios
como o tronco de uma árvore



O mistério está todo na infância:
é preciso que o homem siga
o que há de mais luminoso
à maneira da criança futura



José Tolentino Mendonça

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

ETAPAS DE LIBERTAÇÃO

"Procurei analisar o que são as minhas angústias. Creio que são assim uma espécie de reacção a uma forma incómoda que impede o meu desenvolvimento. Como se eu, periodicamente, tivesse que fazer um esforço para alargar o meu espaço, como se o estado do meu projecto interior não fosse cabendo no módulo que estou a usar. 
Depois de cada depressão sinto que qualquer coisa em mim ficou mais livre. É como se eu estivesse preso com várias cadeias e, depois de atravessar o túnel da depressão, conseguisse libertar-me de uma. 


Pergunto-me se cada homem não estará aprisionado pelos modelos de comportamento que herdou e se isso não atingirá a própria respiração da sua alma (...) As minhas depressões talvez sejam as minhas metamorfoses: é a maneira que eu tenho de passar de lagarta a crisálida. São etapas de libertação." António Alçada Baptista

sábado, 19 de novembro de 2011

ALMA HUMANA

"A letra de Deus nem sempre é decifrável e ninguém conhece a língua em que escreveu a alma humana.Tudo me leva a crer que as marcações que nos deram para o desempenho da vida passam ao lado do caminho por onde os nossos afectos poderiam fluir conforme o que está inscrito no mapa oculto do ser humano(...) 
Algumas vezes, até parece que a simplicidade emana do andamento da vida e que bastaria um pequeno gesto de espírito para passarmos para o lado de lá de tantas incomodidades que nos fazem viver como se tivéssemos calçado dois números abaixo da forma da alma." 


António Alçada Baptista

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

ELOGIO

14 de janeiro 1922

«Procure achar o que há de melhor numa pessoa, e diga isto a ela. Todos nós precisamos deste tipo de estímulo; cada vez que meu trabalho é elogiado, eu me torno mais humilde, porque não me sinto ignorado ou indesejado.
Todo mundo possui algo que merece ser elogiado. Elogios significam: compreensão. Somos excelentes seres humanos em nosso íntimo, e ninguém é melhor que os outros; aprenda a ver a grandeza de seu próximo, e verá também sua própria grandeza.» 


Kahlil Gibran, em «Cartas de Amor do Profeta»

terça-feira, 15 de novembro de 2011

A ALMA PROCURA DEUS



10 de Fevereiro 1916 

(...)Esta fome, que me acompanha por tantos anos, era a vontade de enxergar o que estava além de mim. Tentei de diversas maneiras, e agora encontrei o único caminho certo: através de Deus.
A alma procura Deus, como o ar quente busca as alturas, e os rios correm para o mar. A alma tem dois poderes: o desejo de buscar, e a capacidade de lutar por este desejo.
E a alma nunca perde seu caminho, da mesma maneira que a água não corre montanha acima. Por isso, todas as almas estarão em Deus, não importa quanto tempo isto demore.
O sal não perde suas propriedades, mesmo quando misturado a todas as águas do oceano. A alma não perde esta fome de Deus; ela é eterna, e um dia será saciada.
A alma jamais deixara de buscar a Deus. E quando o encontrar, irá descobrir que Ele também a estava buscando.» 


Kahlil Gibran, em "Cartas de amor do profeta" 

domingo, 13 de novembro de 2011

O AMOR É...

«O amor é um coisa «perigosa», só ele traz a única revolução que proporciona felicidade.
São poucos os que são capazes de amar, e tão poucos os que querem o amor.

Amamos segundo as nossas próprias condições, fazendo do amor um coisa de mercado. Temos mentalidade mercantil, mas o amor não é comercializável nem é um negócio de troca.
O amor é um estado de ser, no qual todos os problemas humanos se resolvem. Vamos ao poço com um dedal e assim a vida torna-se uma coisa sem qualidade, insignificante e limitada.»

J. Krishnamurti, em "Cartas a uma jovem amiga"

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O PASSARINHO


«Um passarinho exausto, de penas encharcadas, quase a arrastar as asas. 

Uma águia imponente, de asas de metro e pose real, viu-o, desceu até ele e perguntou-lhe o porquê do seu estado.
O passarinho respondeu que um grande incêndio tinha lavrado durante a noite e que ele tinha ido, várias vezes, a um rio próximo buscar água no bico para ajudar a apagar o incêndio.
- Mas isso é ridículo! - respondeu a águia. - No teu bico cabem apenas alguma gotas.
- Eu só fiz a minha parte... - disse o passarinho.

Quantas vezes não fazemos nada só com medo de fazermos pouco?»
Henrique Manuel, em "Mas Há Sinais..."

terça-feira, 8 de novembro de 2011

MEDO DE DIZER QUEM SOU

"Tenho medo de dizer quem sou. Percebe-se que ninguém gosta de ser mal entendido, mal julgado. Há pessoas que nunca mostram os bastidores do seu teatro. E é capaz de estar cheio de coisas bonitas! 


A verdade é que não se pode amar outra pessoa se lhe excluímos os defeitos. Mas quando alguém se revela a quem ama, transfigura-se e o que mostra é o melhor dela própria." 


Vasco Pinto de Magalhães, s.j., in "Não há soluções, há caminhos"

domingo, 6 de novembro de 2011

SEJA PACIENTE

«Aqui tem você um conselho que lhe poderá servir para a sua filosofia:
não force nunca;
seja paciente pescador neste rio do existir. 
Não force a arte, não force a vida, nem o amor, nem a morte. 
Deixe que tudo suceda como um fruto maduro
que se abre e lança no solo as sementes fecundas. 
Que não haja em si, no anseio de viver, nenhum gesto que lhe perturbe a vida.»


Agostinho da Silva

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

CADA HOMEM

«Cada homem que vem no mundo,
 por mais miserável que apareça,
 por mais desprezível que pareça,
 pode ser um deus disfarçado.» 


Agostinho da Silva

terça-feira, 1 de novembro de 2011

O AMOR É MAIS FORTE QUE A MORTE







«Existe para cada um de nós uma determinada hora em que o conhecimento inconsolável nos invade a alma e a despedaça. É à luz dessa hora, já chegada ou não, que todos nós nos deveríamos falar, amar, e se possível, rir juntos...

Perante a morte, estaremos como na altura do nosso nascimento, radicalmente privados de qualquer poder. É a esta nossa fraqueza que, para todo o sempre, o amor se deveria dirigir.» Christian Bobin, em "Ressuscitar"

domingo, 30 de outubro de 2011

PARDAIS


«Os pardais levantam voo da copa da tília como as palavras da boca de um sábio. (...)


Troco de bom grado todas as belas palavras dos espíritos mais elevados por esta única frase de A., ao contemplar um pardal que esvoaçava a seus pés na esplanada de um café: "Este pardalito nunca vai saber o quanto me alegra." Christian Bobin

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

CAMINHO PARA O CORAÇÃO


«A vida hoje afastou-nos da natureza: as paisagens urbanas, com as suas florestas de betão, encerram a vida entre paredes eficazes, super-cómodas, é certo, mas o ar que respiramos por alguma razão se chama “ar condicionado”.

O que acredito é que precisamos de amplitude, de campos vastos a perder de vista, de viagens mais profundas que as da rotina. Precisamos perceber o silêncio das coisas, cúmplice do silêncio da nossa alma.

Precisamos da liberdade leve dessas horas inapreensíveis que passamos junto ao mar.

Há um poeta que diz: “Deus anda à beira d’água”. Não me admiro nada. A imensidão, o nome límpido, a alegria azul do mar são lugares onde Deus deixou o Seu toque.

Os caminhos marítimos para os outros continentes estão descobertos.
Falta, talvez, (re)descobrir o caminho marítimo para o porto secreto de cada coração.

José Tolentino Mendonça

terça-feira, 25 de outubro de 2011

SÊ BOM PARA CONTIGO

Ser bondoso para contigo significa
olhares para ti com humanidade.
Ser bondoso significa sentires-te bem contigo próprio.
É reconhecer a criança ferida que existe em ti
e usares de misericórdia para com ela;
olhar para as próprias feridas com o olhar
compassivo do coração e agir com uma
dedicação sincera.
Não deves enfurecer-te com as tuas próprias fraquezas,
mas sim olhá-las com amor e aceitá-las.
Só um olhar carinhoso pode fazer com
que as nossas fraquezas se transformem.

Não dificultes a tua vida
ao levar demasiado a sério
aquilo que não te agrada em ti
e o que te aborrece nos outros.
Vive e deixa viver.
Vê para lá das coisas.

Sê criativo na forma como levas alegria
à vida das pessoas que vais encontrando.
As rosas que fazes florescer para os outros
não perfumam apenas a vida delas.
Também inebriam a tua.
Também enchem o teu coração de amor e alegria.
Sempre que te aproximas dos outros,
há algo em ti que se agita,
que te faz sentir livre e expansivo.

Anselm Grün, em "Em cada dia... um caminho para a felicidade"

domingo, 23 de outubro de 2011

As sem-razões do Amor

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.

Amor é estado de graça
e com amor não se paga.
Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
nem se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Carlos Drummond de Andrade

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

SEGREDOS DA FELICIDADE

"O Evangelho tem frases tão provocatórias que por vezes até parecem engano. Esta por exemplo: "Ao que tem dar-se-à e ao que não tem até o que tem lhe será tirado."

Parece não só contraditório como injusto. Mas não, no Evangelho "ter" não significa posse de coisas, mas de amor, esse "ter" significa abertura, ter espaço para acolher. Quem o tem pode receber sempre mais!
Mas quem não tem abertura nem amor não só não pode receber como até desgasta e consome a sua própria realidade, fechado em si. Não tem comunicação. É que a felicidade não vem de ter coisas, mas de ter liberdade e abertura.»

Vasco Pinto de Magalhães, em "Onde há crise, há esperança"

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

SER FELIZ

«(...) Porque ser Feliz não é sentir-se assim ou assado… Não é a “consequência” de uma maneira de viver ou de certos acontecimentos… É uma maneira de viver! Ser Feliz é uma maneira de viver que, não anulando as experiências de dor, sofrimento, derrota ou traição, as transfiguram no seu âmago! 
É possível sofrer, falhar e chorar como pessoa Feliz! 
Ser Feliz é uma maneira de viver, não a consequência desta ou daquela coisa… E se é uma maneira de viver, ser Feliz é também uma maneira muito especial de sofrer, de chorar e de recomeçar.(...)» Rui Santiago

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A MORADA DA FELICIDADE

"Não é na posse de rebanhos nem no ouro que se encontra a felicidade de viver: a morada da felicidade é a alma" (Demócrito)

«Muitos buscam a felicidade juntando o máximo de riqueza possível. Mas a riqueza não torna ninguém feliz. Quem não sente a felicidade na sua alma correrá atrás dela em vão no mundo das posses ou do sucesso. Nunca possuirá o suficiente, nunca receberá atenção suficiente, não terá tanto sucesso a ponto de ser feliz. 
A felicidade mora na alma, no âmbito interno do ser humano. Lá onde o homem está em concordância consigo mesmo, onde sente seu carácter único, onde sabe da sua dignidade humana, lá está uma felicidade que nenhum fracasso, nenhuma perda, nenhuma rejeição podem lhe roubar.» (Anselm Grün, em "O Pequeno livro da verdadeira felicidade)

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

SÓ O CORAÇÃO É REAL

«Nesta vida só o coração é real, então porque teimamos em sonhar com outra coisa? Os vagos sentimentalismos com que as pessoas se aquecem umas às outras são como raminhos que servem para acender o lume: incendeiam e apagam-se logo em seguida. (...)

Se Deus não está nas nossas histórias de amor, então elas esmorecem, esboroam e desmoronam-se. Não é essencial que se fale de Deus. Nem sequer é indispensável que os que se amam conheçam o seu nome: basta que se tenham encontrado no céu, sobre a terra. (...)
Se já não respiramos no céu, então sufocamos no vazio: é tão simples como isto.» Christian Bobin

terça-feira, 11 de outubro de 2011

INOCÊNCIA FABULOSA


«Deveríamos agradecer aos animais pela sua inocência fabulosa e ficar-lhes gratos por pousarem em nós os olhos inquietos sem nunca nos condenarem.» Christian Bobin

domingo, 9 de outubro de 2011

A LUZ


«A luz que nos é concedida é tão forte que mesmo que se quiséssemos, não poderíamos apagá-la completamente.» Christian Bobin

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

PEQUENOS GESTOS

«Nunca se sabe a que ponto o pequeno, o mais trivial pode estender o seu efeito consolador e fortalecedor até ao que de facto importa.» Rainer Maria Rilke

terça-feira, 4 de outubro de 2011

O SISTEMA


«O sistema tem que andar e até há pessoas que nele se sentem bem. Tenho é pena daqueles que trocam a riqueza do que têm por dentro em inquietação e risco pela comodidade que ele lhes dá.

A questão está em se perguntar se aquilo que andamos a viver responde ou não à chamada do que pressentimos dentro de nós...» António Alçada Baptista

domingo, 2 de outubro de 2011

PÉROLAS







«O género humano é mais ou menos isto: um imenso viveiro de ostras, onde umas dão pérolas e outras poderiam tê-las dado.» António Alçada Baptista

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

terça-feira, 27 de setembro de 2011

SABER ENVELHECER





«Quando saí do centro de reeducação, trazia a criança nos braços. Cruzei-me com uma velha numa cadeira de rodas. O seu olhar iluminou-se ao ver o bebé. Inclinei-me para lho apresentar. Os dois fitaram-se um instante - o que ainda não pertencia plenamente ao mundo, e a que já lhe não pertencia completamente-.
A mulher tinha uma cara maravilhosamente enrugada, semelhante à casca de uma árvore secular. Perante a perfeição destas duas presenças, eu não conseguia compreender porque quer esta sociedade a todo o preço que permaneçamos jovens, afastados das luzes do nascimento e da velhice, cravados no meio delas.» 



Christian Bobin, em "Ressuscitar"

domingo, 25 de setembro de 2011

SÓ A BONDADE É ETERNA





«Debrucei-me sobre o túmulo do meu pai e apoiei a mão na pedra fria. Nuvens obscureciam o céu. O sol apareceu e pousou na minha a sua mão. O frio da pedra falava-me da ausência definitiva do meu pai e o calor do sol da doçura, sempre actuante, da sua alma. Fiquei assim alguns segundos apenas, depois ergui-me e voltei para a cidade com uma força enorme no coração. (...)



Foi a observar o meu pai viver que aprendi o que era a bondade, a única realidade que nesta vida irreal podemos encontrar.»

Christian Bobin, em "Ressuscitar"

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A ESSÊNCIA DA FELICIDADE

"O auge da felicidade é o homem desejar ser o que ele é".

 Desiderius Erasmus

"A Grande doença é a doença da alma. Nós, os índios, só pedimos uma coisa: Lembre sempre quem você é, lembre sempre da sua essência. Essa lembrança, por si só, pode te curar."

Kaká Werá Jecupé - Índio Guarani 

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

A PERTURBAÇÃO DO ÚLTIMO ACONTECIMENTO

«A vida de uma pessoa consiste num conjunto de acontecimentos no qual o último poderia mesmo mudar o sentido de todo o conjunto, não porque conte mais do que os precedentes mas porque, uma vez incluídos na vida, os acontecimentos dispõem-se segundo uma ordem que não é cronológica mas que corresponde a uma arquitectura interna. Uma pessoa, por exemplo, lê na idade madura um livro importante para ela, que a faz dizer: "Como poderia viver sem o ter lido!" e ainda: "Que pena não o ter lido quando era jovem!". 


Pois bem, estas afirmações não fazem muito sentido, sobretudo a segunda, porque a partir do momento em que ela leu aquele livro, a sua vida torna-se a vida de uma pessoa que leu aquele livro, e pouco importa que o tenha lido cedo ou tarde, porque até a vida que precede a leitura assume agora uma forma marcada por aquela leitura.» 


Italo Calvino, in "Palomar" 

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

A RIQUEZA DO AMOR

«A riqueza do amor cumula todas as inquietações e pesquisas do coração e do espírito humano.
Enquanto não se chegar a isso, hão-de procurar-se sempre compensações para o coração e para o espírito humano, no que tiver uma aparência de infinito ou, então, nas riquezas materiais.» 



Jean Vanier

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

FERIDAS

«As pessoas cuja a alma e a carne são feridos têm uma grandeza que jamais terão aquelas que vivem a sua vida em triunfo.»

Christian Bobin

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

sábado, 10 de setembro de 2011

PARAÍSO

«Mesmo que encontrássemos outro Éden,
não teríamos condição de desfrutá-lo perfeitamente
nem de ficar lá para sempre.»

Henry Van Dyke

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

SOBRE O PERDÃO (2ª parte)


«Precisamos de tomar consciência que, ao perdoar a alguém, ao fazer-lhe bem (perdoando-lhe uma dívida, por exemplo), em certo sentido fazemos bem sobretudo a nós mesmos: readquirimos aquela liberdade que o rancor e o ressentimento quase nos iam fazendo perder.

Tal como a dependência afectiva, também a recusa em perdoar nos amarra à pessoa a quem queremos mal e aliena a nossa liberdade. Somos tão dependentes das pessoas que detestamos como das pessoas que amamos exageradamente. 
Quando alimentamos rancor contra uma pessoa, não paramos de pensar nela, enredamo-nos em pensamentos negativos que nos absorvem uma grande parte da energia, há um «investimento» na relação que não nos deixa psicológica e espiritualmente disponíveis para nos dedicarmos às outras coisas que temos que fazer. O rancor ataca as forças vitais da pessoa que o acalenta e causa-lhe muito dano. 

Quando sentimos o coração «apertado», muitas vezes a causa será a seguinte: o nosso coração tem disposições mesquinhas para com o próximo, recusa-se a amar e a perdoar com generosidade. Pelo contrário, a generosidade no amor e no perdão, a benevolência nos julgamentos, a misericórdia, fazem de nós «filhos do Altíssimo», e levam-nos a navegar num universo de gratuidade, nos oceanos ilimitados do amor e da vida divina, onde as mais profundas aspirações do nosso próprio coração serão um dia satisfeitas.
Se amares o próximo, diz Isaías, «então a tua luz surgirá como a aurora, e as tuas feridas não tardarão a cicatrizar-se. Serás como um jardim bem regado, como uma fonte de águas inesgotáveis». (Is 58, 8-11)

Jacques Philippe, em "A Liberdade Interior"

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

SOBRE O PERDÃO (1ª parte)

«Se nos recusarmos a perdoar algum mal de que fomos vítimas, não fazemos senão juntar um mal a outro mal, e não resolvemos nada com isso. Aumentamos a quantidade de mal que há no mundo, e já há que chegue! Não sejamos cúmplices da propagação do mal.

Como S. Paulo nos recomenda, «não nos deixemos vencer pelo mal, mas vençamos o mal com o bem». (Rm 12, 21)

O que torna o perdão às vezes tão difícil, é pensarmos, mais ou menos conscientemente, que perdoar a tal pessoa que nos fez sofrer, significaria proceder como se ela nada tivesse feito de mal; isso seria chamar «bem» ao mal, caucionar uma injustiça, e não podemos aceitá-lo.

Perdoar significa o seguinte: esta pessoa fez-me mal, todavia eu não quero condená-la, identificá-la com o seu erro, nem fazer justiça pelas minhas próprias mãos. Entrego a Deus, o único que «conhece profundamente os pensamentos e corações» e que «julga com justiça», o cuidado de avaliar os seus actos e de fazer justiça, não quero ser eu a encarregar-me dessa tarefa sumamente difícil de delicada que só a Deus compete.

Além disso, não quero emitir, sobre aquele que me feriu, um julgamento definitivo e sem recurso, mas continuo a poisar sobre ele um olhar de esperança, acredito que ele pode evoluir e mudar numa ou noutra coisa, continuo a querer-lhe bem.»



Jacques Philippe, em "A Liberdade Interior"

sábado, 3 de setembro de 2011

A BELEZA QUE NÃO PODE SER PINTADA


Os gregos da era clássica costumavam dizer que o homem, para atingir sua plenitude humana, deve ser belo e bom, e o inesquecível Cervantes, com seu mais inesquecível Dom Quixote, dirá, mais tarde, que não existe beleza separada da bondade. (...)

Francis Bacon, filósofo inglês, também se interessou por esse assunto quando escreveu: A melhor parte da beleza é aquela que não pode ser pintada.

Hoje, diríamos, com o desagrado de tantas atrizes e modelos, que a melhor parte da beleza é a que não pode ser fotografada, primeiro porque essas belezas de revistas, de cinema e TV são puras folhas de papel ou reflexos coloridos e, segundo, porque, na frase de Bacon, se trata de uma formosura espiritual que não pode ser captada nem pelas mais modernas câmeras digitais!

Héber Salvador de Lima SJ, em "Tudo é Graça..."

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

SOBRE O AMOR

«O amor é um coisa «perigosa», só ele traz a única revolução que proporciona felicidade.
São poucos os que são capazes de amar, e tão poucos os que querem o amor.

Amamos segundo as nossas próprias condições, fazendo do amor um coisa de mercado. Temos mentalidade mercantil, mas o amor não é comercializável nem é um negócio de troca.
O amor é um estado de ser, no qual todos os problemas humanos se resolvem. Vamos ao poço com um dedal e assim a vida torna-se uma coisa sem qualidade, insignificante e limitada.»

J. Krishnamurti, em "Cartas a uma jovem amiga"

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

AMOR QUE CURA

«Só nos braços de alguém que nos ama podemos ousar mergulhar até ao fundo do abismo do nosso coração, reconhecer o nosso mal, confessá-lo, enfim, sermos verdadeiros perante nós mesmos e perante Deus. E começar uma vida nova».

É verdade que o mal descoberto não pode deixar de causar vergonha, uma vergonha que geraria angústia e desespero se, ao mesmo tempo, no olhar daquele que nos ama, não descobríssemos que há em nós uma beleza, mais profunda que o nosso mal, capaz de suscitar estima e amor.»

Henri Caffarel, em "Nas encruzilhadas do amor"

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

O AMOR É UM DOM

“Deus nos ama como somos para nos fazer como Ele sonhou que sejamos!”


"Há poucas emoções mais capazes de nos deixar mal em relação a nós mesmos do que a convicção de que não merecemos ser amados. E poucas coisas são mais decisivas para gerar essa convicção do que a ideia de que toda vez que fazemos algo de errado damos a Deus, e às pessoas mais achegadas a nós, razões para não nos amarem". 


Harold Kushner, em "O quanto é preciso ser bom?"



domingo, 21 de agosto de 2011

PRESENÇA DE DEUS

«Deus nunca "acontece" tão profunda, intensa e puramente como quando um homem ou uma mulher acorre em ajuda de outro homem ou de outra mulher. 
Onde alguém ama, está tornando visível e operante a presença de Deus.»

Andrés Torres Queiruga em "Do terror de Isaac ao Abbá de Jesus" 

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

SER AMADO

«Não há experiência mais profunda no ser humano do que aquela de ser amado. Só o sentir-se amado transforma, faz perdoar-me a mim mesmo, aceitar o que sou, querer ser o que sou. As comparações e as utopias fazem-nos, muitas vezes, olhar na direcção errada.


Para quem acredita, é um passo fundamental dar este salto: acreditar que Deus me ama sempre, acredita sempre em mim, não desiste. Ter alguém que sempre apoia o meu desejo de perfeição é a base de todo o movimento em direcção à plenitude.
Sentindo-se amado, e reconhecido como se é, torna a pessoa mais autêntica no modo de estar perante o mundo e os outros.
 Move-a o desejo de simplesmente ser, fazer crescer o bem, ser radicalmente optimista, porque nada está perdido, mesmo que o pareça. 

Deste modo, aquele que é amado ama como a expressão mais própria da Vida. Tudo o que sente e faz se confronta com o desejo que a Vida e os outros se sintam amados como eu me sinto amado.»


António Valério s.j. 
http://amar-tesomente.blogspot.com/2009/10/plenitude-interior.html

terça-feira, 16 de agosto de 2011

DESFIGURAÇÃO DO AMOR

«Quando o critério para merecer amor é uma questão de passar em testes e preencher condições começamos a experimentar mais fracassos do que êxitos. Na experiência repetida do fracasso aparecem o conflito, o medo, a frustração, a dor e, por fim, alguma forma de ódio a si mesmo. Passamos o resto das nossas vidas tentando escapar desta dor. Muitas vezes tentamos assumir uma fachada que agrade aos outros e nos traga aceitação e amor. Desistimos de ser nós mesmos e tentamos ser uma outra pessoa, alguém que seja digno de reconhecimento e afeição.»


John Powell

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

PARA UMA VIDA SER BELA...

"Para uma vida ser bela, não é indispensável possuirmos capacidades extraordinárias ou sermos muito dotados: existe felicidade no dom humilde de nós próprios.


Irmão Roger, de Taizé, em "Viver em tudo a Paz do Coração