domingo, 29 de dezembro de 2013

LER OS SINAIS


«Os magos vindos do Oriente- gentes vindas de outros mundos, estranhos para a terra de Israel – deixaram-se conduzir, na noite, por uma estrela. Leram os sinais e ousaram seguir-lhe o rasto. Possivelmente, já todos nós, por mais frágil quesintamos que é a nossa fé, experimentámos um dia o brilho intenso de uma estrela. Um brilho vislumbrado no segredo do coração. Não basta o cintilar dessa luz, é necessário abrir-se ao caminho. Diante dos sinais, somos convocados para avançar e a não ter medo dos passos incertos. Podemos ficar presos na nostalgia, também de Deus, só porque não arriscámos dar um passo».

Carlos Maria Antunes "Só o Pobre se faz Pão"

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

NATAL


«Natal é o sinal de que Deus em vez de nos olhar de cima para baixo, preferiu nos olhar nos olhos.» 

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

NASCEMOS, NASCEMOS, NASCEMOS


«Porque um menino nos nasceu (...) " Isaías 9:6

Enganam-se os que pensam que só nascemos uma vez. 

Para quem quiser ver a vida está cheia de nascimentos. 
Nascemos muitas vezes ao longo da infância 
quando os olhos se abrem em espanto e alegria. 
Nascemos nas viagens sem mapa que a juventude arrisca. 
Nascemos na sementeira da vida adulta, 
entre invernos e primaveras maturando
a misteriosa transformação que coloca na haste a flor
e dentro da flor o perfume do fruto.
Nascemos muitas vezes naquela idade
onde os trabalhos não cessam, mas reconciliam-se
com laços interiores e caminhos adiados.

Enganam-se os que pensam que só nascemos uma vez.
Nascemos quando nos descobrimos amados e capazes de amar.
Nascemos no entusiasmo do riso e na noite de algumas lágrimas.
Nascemos na prece e no dom.
Nascemos no perdão e no confronto.
Nascemos em silêncio ou iluminados por uma palavra.
Nascemos na tarefa e na partilha.
Nascemos nos gestos ou para lá dos gestos.
Nascemos dentro de nós e no coração de Deus.

O que Jesus nos diz é: "Também tu podes nascer",
pois nós nascemos, nascemos, nascemos.

José Tolentino Mendonça

sábado, 21 de dezembro de 2013

NATAL: UMA ALEGRIA QUE VEM DE DENTRO


Não recorras ao que já sabes do Natal,
mas coloca-te à espera
daquilo que de repente em teu coração
se pode revelar

Não reduzas o Natal ao enredo dos símbolos
tornando-o um fragmento trémulo sem lugar
no concreto da vida
Não repitas apenas as frases que te sentes obrigado a dizer
como se o Natal devesse preencher um vazio
em vez de o desocultar

Não confundas os embrulhos com o dom
nem a acumulação de coisas com a possibilidade da festa:
o que recebes de graça
só gratuitamente poderás partilhar

Cuida do exterior sabendo que ele é verdadeiro
quando movido por uma alegria que vem de dentro

Uma só coisa merece ser buscada e celebrada, uma só:
o despertar de uma Presença no fundo da alma

Por isso o Natal que é teu não te pertence
Só a outro o poderás pedir.

José Tolentino Mendonça

domingo, 15 de dezembro de 2013

NÃO HÁ NADA MAIS SAGRADO...


«Não há nada mais Sagrado do que aquela espantosa Humanidade com que nós somos capazes de nos tocarmos uns aos outros... Não há nada mais Divino do que um Ser Humano a realizar o melhor das suas capacidades, depois de ter descoberto que somos o que amamos e levamos os traços fundamentais do nosso Rosto não na nossa cara mas nas palmas das nossas mãos e no tom das nossas palavras...» 

Rui Santiago Cssr , em "Como um Diário..."

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

O NOSSO CÉU ESTÁ NA TERRA


«A humildade é viver a partir do que efetivamente somos e não das fantasias que continuamente criamos...

... O nosso Céu está na terra, na terra que somos, essa terra que tanto nos custa amar, tão só porque não corresponde às crenças que interiorizámos ao longo da vida. (...)
Descer à terra, uma e outra vez, , acolher o contraditório, o sombrio, o que nos dói, sem desalento e com ternura. Sempre com ternura, porque a terra que somos é o nosso melhor tesouro. Quando abrimos assim o coração, caem os medos, a liberdade ganha outra amplitude, aprendemos a olhar os outros com compaixão e vamos experimentando que Deus vive e respira em nós».

Carlos Maria Antunes, em "Só o Pobre se faz Pão"

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

TUDO É ENGOLIDO PELO AMOR


«Se eu fosse morrer esta noite e me perguntassem o que me move mais neste mundo, eu talvez respondesse: o modo como Deus passa através dos nossos corações. Tudo é engolido pelo amor». 

Julien Green

domingo, 8 de dezembro de 2013

NELSON MANDELA 1918-2013

«As pessoas cuja a alma e a carne são feridos têm uma grandeza que jamais terão aquelas que vivem a sua vida em triunfo.»

Christian Bobin

"Nascemos para manifestar a glória do Universo que está dentro de nós. Não está apenas num de nós: está em todos nós. E conforme deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo. E conforme nos libertamos do nosso medo, a nossa presença, automaticamente, liberta os outros".

Nelson Mandela



sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

BASTA IMAGINAR



Basta imaginar,
um pássaro para o aprisionar,
e depois imaginar o ar para o libertar
e imaginar asas para ele voar
e imaginar uma canção para ele cantar.

Manuel António Pina

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

PORQUE EU SÓ PRECISO...


"Porque eu só preciso de pés livres, de mãos dadas, e de olhos bem abertos." 

Guimarães Rosa

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

NÓS SOMOS




Como uma pequena lâmpada subsiste
e marcha no vento, nestes dias,
na vereda das noites, sob as pálpebras do tempo.

Caminhamos, um país sussurra,
dificilmente nas calçadas, nos quartos,
um país puro existe, homens escuros,
uma sede que arfa, uma cor que desponta no muro,
uma terra existe nesta terra,
nós somos, existimos

Como uma pequena gota às vezes no vazio,
como alguém só no mar, caminhando esquecidos,
na miséria dos dias, nos degraus desconjuntados,
subsiste uma palavra, uma sílaba de vento,
uma pálida lâmpada ao fundo do corredor,
uma frescura de nada, nos cabelos nos olhos,
uma voz num portal e a manhã é de sol,

nós somos, existimos.

Uma pequena ponte, uma lâmpada, um punho,
uma carta que segue, um bom dia que chega,
hoje, amanhã, ainda, a vida continua,
no silêncio, nas ruas, nos quartos, dia a dia,
nas mãos que se dão, nos punhos torturados,
nas frontes que persistem,
nós somos,
existimos.

António Ramos Rosa



domingo, 1 de dezembro de 2013

A MÚSICA DO AMOR


«Dançaremos eternamente a música do amor com o jeito que aprendermos agora(...)

Quem opta pelo amor entra na dinâmica da criatividade. 


O amor é um apelo a responder de modo sempre novo e adequado, a fim de facilitara realização e a felicidade dos outros.(...)»

Calmeiro Matias - http://calmeiro-matias.blogspot.pt/