quinta-feira, 1 de março de 2012

SER CRISTÃO

«A linguagem do permitido e do proibido não é boa linguagem. O que é preciso é dizer o sentido. É preciso dizer o que é positivo. Se se dá sentido, se se diz o positivo, pode-se levar os outros pouco a pouco a mudarem de vida, mas não se se lhes dá a impressão de que o cristianismo é um juridicismo ou um moralismo. O cristianismo não é um moralismo: é um impulso, é um fogo! Como escreve Pasternak num dos seus romances: é onde a vida atinge o «o seu mais alto grau de intensidade».

(...) o cristianismo não é nem um sistema nem uma ideologia: o cristianismo é Alguém, é Cristo e, consequentemente, uma relação com Cristo, cuja própria pessoa é a verdade.» 


Olivier Clément, em "Taizé, um sentido para a vida"

2 comentários:

Patrícia Fonseca disse...

Gostei muito do Abrigo!
Estou seguindo,
Grande abraço.

Jaime A. disse...

Concordo!
Mais do que uma religião, o Cristianismo é um caminho, um atalho diferente das auto-estradas que nos são oferecidas a todo o momento.