sexta-feira, 12 de junho de 2009


Tu me apresentaste teus amigos, que eu não conhecia.
Tu me deste poltronas em lares que não eram o meu.
Tu aproximaste de mim quem estava longe
e de um estranho fizeste meu irmão.
Quando tenho de deixar o antigo lar,
sinto o coração inquieto.
Esqueço de que aí o velho permanece novo
e estás morando aí também.
Desde o nascimento até a morte,
neste ou em outros mundos,
onde quer que me guies,
és sempre o mesmo companheiro,
em minha vida infinita.
És Tu quem uniu meu coração a um estranho para sempre.
Para quem te conhece não há mais desconhecidos,
nenhuma porta se fecha.
Concede-me esta graça:
permite-me a felicidade de sempre ver aquele que é o único e num mundo variado.

Rabindranath Tagore

2 comentários:

Viviana disse...

Olá Paulo

Mais um belíssimo texto de Rabinat Tagore.


È sem dúvida, este Amigo Maior, este Deus Eterno, que nos criou e nos ama, o melhor, o mais excelente companheiro de jornada.

Ah! como é bom caminhar e viver com Ele!

Um abraço, amigo

viviana

Luz disse...

Adorei seu espaço Paulo! Pesquisando Rabindranath Tagore para uma postagem tive a felicidade de cair aqui. Voltarei mais vezes e com mais calma!
Um abraço Luz!