sexta-feira, 26 de novembro de 2010

CARTAS DE AMOR DO PROFETA

7 de fevereiro 1912

«Meu coração está hoje sereno, e as angústias de sempre foram substituídas pela calma e pela alegria; vi Jesus num sonho, durante a noite.
A mesma face generosa, os grandes olhos negros que pareciam queimar a quem o encarava de frente, os pés empoeirados, as sandálias usadas. E a presença forte do Seu espírito, dominando tudo com a paz daqueles que sabem olhar direito a Vida.

Oh, querida Mary, por que não posso sonhar com Jesus todas as noites? Por que não consigo olhar para minha vida com a metade da calma que Ele era capaz de me transmitir durante o sonho? Por que não consigo encontrar ninguém nesta Terra que possa ser tão simples e tão afectuoso como Ele?»

Kahlil Gibran, em "Cartas de amor do profeta"

2 comentários:

sonia disse...

Bom dia,


Eu me pergunto todas as manhãs, reflito a noite, porque?

Porque?
Não tenho a paciencia, humildade, calma, paz. confiança que Jesus quer me transmitir?

Eu o busco sempre, em cada mínimo detalhe, repito sempre, Jesus eu confio em vós... (e confio mesmo).

Porém, sou agitada, apressada, irritada, enfim, toda torta...

beijos.

Jaime A. disse...

Como todos os tesouros, Jesus está ao nosso alcance, não à nossa vista...