quarta-feira, 18 de abril de 2007

A verdadeira alegria


"Cultivar a alegria não é tapar os olhos para não ver as coisas feias e os dissabores do mundo, não é cobrir a realidade com um véu cor-de-rosa para criar uma felicidade ilusória; pelo contrário, viver na alegria é viver na consciência extrema, testemunhando, na escuridão do mundo, que o nosso ser pertence a algo de diferente. A alegria não é uma linguagem de palavras, é uma linguagem de olhares, a alegria não convence, contagia. A alegria é poderosamente subversiva, porque é subversivo o amor sem distinções que ela transmite." - Susanna Tamaro, Querida Mathilda

1 comentário:

Ana Maria disse...

A vida é assim mesmo,Xando...
"Arriscar-se é perder é pé por algum tempo.Não se arriscar é perder a vida..."
Estender a mão para o outro é arriscar-se a se envolver.
Rir é arriscar-se a parecer louco.
Chorar é arriscar-se a parecer sentimental.
Expor seus sentimentos é arriscar-se a expor o seu verdadeiro eu.
Amar é arriscar-se a não ser retribuido.
Expor as nossas ideias e sonhos ao público é arriscar-se a perder.
Viver é arriscar-se a morrer.
Ter esperança é arriscar-se a sofrer decepção.
Tentar é arriscar-se a falhar.
Mas contudo...é preciso correr riscos.
Porque o maior azar da vida é não arriscar nada.
Pessoas que não arriscam, que nada fazem, ndada são.
Podem estar a evitar o sofrimento e a tristeza, mas assim não podem aprender, sentir, crescer, mudar amar, viver...
Acorrentadas às suas atitudes e preconceitos são escravas, abrem mão da sua liberdade.
Só a pesssoa que se arrisca é livre.
Porque Ri,chora, estende a mão, tem esperança,cresce, sente,ama,arrisca, VIVE...


(Depois de feito uma estorce no pé direito... Com muito gelo, repouso e algum analgésico)