terça-feira, 12 de junho de 2007

Rótulos


A nossa vida é como uma garrafa
de vinho generoso. Há quem
fique satisfeito só de ler o rótulo;
outros precisam de provar o conteúdo.

Buda, um dia, mostrou aos seus discípulos
uma flor e pediu-lhes que disessem
uma coisa qualquer a seu respeito.
Olharam, (em silêncio), para a flor
durante algum tempo e, logo, um deles
fez sobre ela uma erudita prelecção.

Um outro dedicou-lhes uma poesia
e um terceiro compôs uma parábola,
tentando cada qual sobrepujar,
em arte e profundeza, o seu colega.
Mahakashyap, porém, olhou a flor,
sorriu silencioso... e nada disse.

Apenas ele foi capaz de ver a flor!

Fabricantes de rótulos! Ah, se eu pudesse «saborear» um pássaro, uma flor, uma árvore, um rosto humano!
Infelizmente, porém, não tenho tempo! Ando ocupado demais em ler os rótulos e em produzir alguns da minha própria autoria. E assim, nunca me deixo inebriar com este vinho!

O canto do pássaro
de Anthony de Mello

1 comentário:

Flôr disse...

Amigo boa tarde :D

Passo para te deixar votos de um excelente fim de semana... com chuvas de bênçãos do céu...

Aqui por Sintra, neste momento, chove a CÂNTAROS!!
Será que já chegou a primavera? hummm será?! eheh

Deixo ficar um pensamento...

Quem se ocupa demasiado consigo mesmo, não em tempo para os outros.
(Menandro)


Beijo no amor do nosso PAI do céu

Flor