domingo, 3 de junho de 2007

Uma história sobre o céu e o inferno


Deus, numa atitude incomum, convidou um Pastor e um Padre para conhecer o céu e o inferno. Ao abrirem a porta do inferno, viram centenas de pessoas sentadas à volta de uma mesa enorme. No centro da mesa, viam-se os manjares mais requintados que qualquer pessoa poderia imaginar e, embora todos tivessem uma colher para chegar ao prato central, estavam mortos de fome! O problema era que as colheres tinham o dobro do comprimento dos seus braços e estavam presas às suas mãos. Assim, todos podiam servir-se, mas ninguém conseguia levar a comida à boca. A situação era deveras desesperada e ouviam-se gritos de dor e sofrimento.


Entraram numa sala idêntica à primeira, onde se depararam com o mesmo cenário; as pessoas em volta e, para surpresa dos dois, as mesmas colheres de cabo comprido, que alcançavam o prato central, mas não podiam alcançar a boca. Mas a grande diferença é que todos estavam saciados. O pastor e o padre se questionaram? - Eu não compreendo - disse o padre- por que aqui as pessoas estão felizes, enquanto na outra sala morrem de aflição, se é tudo igual, inclusive as colheres com cabos compridos? - Sim, como isso é possível? - completou o pastor. Deus sorriu e respondeu:- Ainda não compreenderam? Aqui, no céu, ninguém morre de fome, porque os meus servos aprenderam a dar comida uns aos outros.

2 comentários:

Flôr disse...

A mensagem deste post, ensina-nos tanto!! :))

Gostei MESMO!

Amigo do meu coração, quando puderes dá um pulinho ao meu/nosso jardim... não sei se alguma vez, alguém te ofereceu algumas... mas, penso que vais gostar... por isso, pega numa... amarela ou branca e guarda-a no teu coração... pois esta manhã quando as andava a apanhar para as colocar no cesto... lembrei-me do amor de Deus e nesse instante, o meu coração "voou" até ti! :)
O amor do PAI é maravilhoso!

:))

Deixo-te um abraçinho bem colorido com todas as cores do arco-íris, da Flor que te ama no amor de nosso Senhor Jesus Cristo.

Flor

Sol da manhã disse...

Gostei muito deste post.
Diz tudo!
Um abraço,
Maria