domingo, 6 de maio de 2007

A Mão Invisível de Deus


O Túnel. A luz ao fundo do túnel. À saída, o ceú escuro, sombrio, ameaçador. Irrompe a tempestade imprevísivel, violenta, implacável. Os céus em pranto. As pedras geladas contra o vidro. Um silêncio premonitório. Aquelas palavras que ainda ecoam dentro de mim:" Já está!". Já fomos, não há salvação, pensei. E hoje lembrei-me das palavras de Cristo:"Está consumado". Missão cumprida. A morte vencida. A morte de um Homem pela eternidade de muitos.

Surrealista, disseste. Sim, um acontecimento estranho, surreal. Para mim, como se o mundo invisível e o mundo visível se tivessem cruzado naquele instante e a realidade tivesse sido alterada por um insondável desígnio divino. Como num sonho, talvez. Ás vezes, os sonhos parecem tão reais, tão vívidos.

Os céus em pranto. Eu não chorei. Chorei depois. Não de tristeza, nem de alegria. Penso que de gratidão e comoção. A mão invisível de Deus. Os teus olhos brilhantes e meigos felizes com a minha presença física. Felizes por verem os meus vivos e brilhantes. Felizes por verem em mim o que só tu és capaz de ver.
Somos tão preciosos, meu amor. Deus conhece de cor cada recanto das nossas almas.

Quando estas coisas acontecem não podemos ficar indiferentes...Ninguém fica indiferente. E vemos quão preciosos somos no olhar de quem nos ama. Vemos o quanto nos querem bem. Como temem perder-nos. Como nos agarram e beijam como se lhes fossemos escapar.

Eu acredito que estas coisas acontecem não tanto para aprendermos com os erros e tornarmo-nos mais prudentes quanto para nos despertar, para nos lembrar da nossa fragilidade, da nossa dependência e mortalidade...Também acontecem para esvaziarmos o ego de quaisquer indícios de orgulho farisaico, auto-suficiência e altivez.

Sabes que um dia vais morrer, e que esse dia pode ser já hoje; mas vives como se dia nunca fosse chegar. Acreditas ter toda a eternidade pela frente e vais adiando sucessivamente as decisões importantes, as mudanças que urgem... Perdes-te em insignificâncias, coisas sem conteúdo e sem sentido...A rotina embala-te num sono letárgico... Nos teus olhos o torpor e o vazio das horas que passam sem que faça sentido aquilo que vives. Precisas de um abanão, de um choque(talvez um susto) que te desperte da ilusão do tempo indeterminado que julgas ter pela frente. E tem de ser assim, por que não aprendes com a morte dos outros. E só se vive uma vez.
A vida é uma dádiva. Fazes dela o que quiseres, com a liberdade que te foi concedida. Mas, tem cuidado com a forma como usas a liberdade. Não a uses para teu próprio proveito.

A efemeridade da vida. Fragilidade confrangedora. Os pensamentos emaranhados. O coração em silêncio contemplativo; expressando-se numa linguagem que só Deus entende. Tu(meu amor) tão frágil, vulnerável e indefesa. Tu(meu amor) pensando mais em mim do que em ti. E eu espantado, maravilhado por estarmos vivos e sem mazelas de maior. Os céus em pranto.Tu a tratares dos aspectos práticos e eu imerso no espanto, na profundidade daquele mistério. A ver a mão invisível de Deus por detrás de tudo.

Sorte? Acaso? Milagre? Destino?
Por vezes, entramos nos túneis escuros da vida e não conseguimos ver a luz ao fundo, ou esquecemos que ela existe como nos outros túneis que já atravessámos. Mas, enquanto atravessamos o túnel escuro do sofrimento, da dor, da perda, do fracasso, há sempre uma luz que nos guia e ilumina. A luz da fé. A luz da esperança. A luz do amor. A luz da amizade. A luz dos teus olhos tão doces e tão meigos.
O pior é quando na nossa alma todas as luzes se apagam e, através do túnel escuro e medonho, vagueamos sem direcção e sem rumo, ás apalpadelas, com a alma seca e os olhos molhados.
Mas, a luz continua a brilhar lá no fundo, do túnel, e da alma. E nunca estivemos sós por mais que acreditassemos nisso. Houve sempre um propósito, apesar da aparente falta de sentido. Houve sempre uma luz, apesar da escuridão. Houve sempre uma mão, apesar do sentimento de abandono e desamparo. Houve sempre uma Mão.
A Mão Invisível de Deus.

1 comentário:

Flôr disse...

Vim conhecer este teu "sábio" cantinho e não é que ADOREI! :D

Virei mais vezes, com toda a certeza!

E tomei a liberdade de te "plantar"(linkar) no meu "jardim virtual".

Um bom fim-de-semana e deixo-te um beijo florido da Flor :D