sexta-feira, 30 de maio de 2008

Dois tipos de amor

"Há dois tipos de pessoas, porque há duas formas de amor.
Um amor santo, outro egoísta.
Um se preocupa com o bem comum em favor do entendimento mútuo e da fraternidade espiritual,
o outro procura submeter o bem comum ao próprio bem,
satisfazendo a arrogância e a ânsia de domínio;
um é submisso a Deus,
enquanto o outro trabalha para igualar-se a Deus.

Enquanto um trabalha pela paz,
o outro é insubordinado;
um prefere a verdade às honras humanas,
o outro anseia pelos louvores, ainda que sejam falsos;
um é amigo,
o outro é invejoso;
um deseja para o próximo o mesmo que deseja para si,
o outro deseja submeter o próximo a si mesmo;
um ajuda os demais interessado neles,
o outro se interessa por si mesmo."

(Santo Agostinho)

2 comentários:

Viviana disse...

Bom dia Paulo,

Como já lhe disse um dia destes, eu só vejo o autor do texto no fim.
Enquanto lia,pensava que isto seria um excerto de um livro actual, escrito por um daqueles homens inspirados que de vez em quando surgem...

Chego ao fim e vejo: "Santo Agostinho"...

Quer dizer: já eram palavras actuais naquela altura...
Hoje... continuam a sê-lo!


Lembrei-me entretanto que tambem foi ele que disse:

"Ama e faz o que quiseres".

Na verdade, todos os homens e mulheres deste nosso mundo, carecem deste amor divino, amor de Deus!

Se assim fosse, então vivería - mos
não num inferno...mas sim num céu.

Corajosamente, vamos tratar de difundir esse Amor.

tenha um lindo dia

um abraçoi
viviana

Caio disse...

É um bom jeito de definir o amor no ser humano. Há leituras hoje falando das Cinco Linguagens do Amor, mas pouco surge falando sobre o amor em si.

Há realmente esses dois tipos de amor para esses dois tipos de pessoa. O resto, é tentar "encher linguiça".