segunda-feira, 10 de novembro de 2008

VIVER OU SOBREVIVER?


«Viver significa nunca dominar outro ser humano.

A pessoa que sobrevive, pelo contrário, tem necessidade do outro, serve-se do outro.

A pessoa que vive serve o outro.

A pessoa que sobrevive procura controlar o outro, possui-o, deseja-o para si.

A pessoa que vive torna o outro livre, entrega-o às suas responsabilidades, à sua viagem, deseja que ele pertença ao universo.

A pessoa que sobrevive, na realidade, não tem confiança nos outros, na humanidade.

A pessoa que vive confia na humanidade.

A pessoa que sobrevive, de um modo geral, tem êxito nesta sociedade e é bem aceite, mas, no fundo, nunca está serena, nem feliz, nem plenamente realizada.

A pessoa que vive é, por definição, serena, feliz, plenamente realizada.

Quem sobrevive procura sempre fora de si a própria realização, a compensação para as próprias necessidades psicológicas, para as próprias lacunas, para os próprios defeitos, para a própria neurose, para a própria ansiedade.

No fundo, quem sobrevive, ilude-se, pensando viver.

Sobreviver significa ter medo de viver
(Valerio Albisetti, em "Viagem da Vida")

2 comentários:

sandre disse...

Sempre é melhor viver do que sobreviver.
pois acho que a sobrevivencia provem do medo.
e viver provem de Deus.

belo post

Abçs
Sandre

b disse...

Não creio que uma pessoa sobreviva todos os dias de sua vida. Nem que viva todos os dias de sua vida.
O texto é ótimo , vou lê-lo mais.
Mas confesso que em algumas ocasiões vivo e em outras sobrevivo.
O defeito é meu, isto é apenas um depoimento.
Grata.