quarta-feira, 14 de julho de 2010

A FUGA DE DEUS

"Se temos medo de ficar sozinhos, medo do silêncio, talvez seja em virtude da nossa secreta desesperança de reconciliação íntima. Se não temos a esperança de ficar em paz connosco em nossa própria solidão e em nosso silêncio pessoal, jamais seremos capazes de nos encarar: continuaremos correndo sem parar.

E essa fuga do eu é, como indicou o filósofo suiço Max Picard, uma "fuga de Deus".
Afinal de contas, é nas profundezas da consciência que Deus fala, e, se recusamos a nos abrir por dentro e a olhar essas profundezas, também recusamos nos confrontar com o Deus invisível presente dentro de nós."

Thomas Merton, in "Amor e Vida"

1 comentário:

Willyan Luemi disse...

Com certeza...

A nossa eterna busca é pela paz que pode nascer não de uma conquista, não de um apego,
Mas da eterna experiencia vida dentro de nós. Quando nos negamos a observarmos o que temos na nossa própria mente, ativamos o medo e criamos monstros enormes que destroem nosso relacionamentos conosco e com o mundo, monstros que de fato não existem, mas que permitimo-nos acreditar.

Grande luz a sua, meu irmão!