segunda-feira, 2 de julho de 2007

Mudar ou não mudar...

Fui um neurótico por muitos anos.
Cheio de depressões, angústias e egoísmos.
E toda a gente me dizia que mudasse;
acrescentando:«hás-de ter muitos amigos,
com esse feitio».
Eu sentia isso e concordava, ao mesmo tempo;
e queria até mudar, mas não podia;
e tentando, tentava o impossível.

Mas o que mais me feriu foi um amigo,
o meu melhor amigo, ele também, sempre a dizer:
«tu precisas de mudar, estás neurótico!».

Certo dia, porém, este amigo foi diferente:
«Não mudes! - disse. Fica assim como és!
Eu gosto de ti; não mudes;
não consigo deixar de te amar!».

Que melodia foi, nos meus ouvidos,
esta frase do amigo: «Não mudes... Não mudes!
Não mudes... eu gosto de ti!».

Posto isto, relaxei; voltei à vida
e, oh grande maravilha, foi então que eu mudei!

Agora sei que não teria conseguido, realmente, transformar-me, até ao dia em que encontrasse alguém que me amasse do modo que eu era: com ou sem mudança!

É assim que Vós me amais, oh Deus?

O canto do pássaro, Anthony de Mello

1 comentário:

Flôr disse...

Desde que essa mudança tivesse acontecido para "entrares" nos caminhos do Senhor.... então viva a mudança... mudar!!?? sempre, desde que seja para melhor :)

Beijinho com suave marezia Algarvia da amiga Flor :))