terça-feira, 24 de julho de 2007

Relações(2ª parte)


Já te falei de auto-estradas, de carreirismo e de sprinters…

Queria ainda falar-te de duas palavras que conheces muito bem: entras num supermercado e, se reparares, encontras-te num mar de produtos light e artigos descartáveis.Tudo é light, dos sumos às manteigas, e tudo é descartável, desde as fraldas às giletes.O pior é que o critério light e descartável aninhou-se nas relações entre as pessoas. As relações são cada vez mais light, sem compromisso real, sem disponibilidade para aguentar sofrer naqueles momentos em que amar faz doer, sem promessa de fidelidade incondicional… A relação light é a típica relação do “vamos ver se dá”…O resultado imediato das relações light é que se tornam rapidamente relações descartáveis, relações de “usar e deitar fora”…

Se todos acordássemos para isto, o mundo poderia começar a ser diferente…Se as auto-estradas fossem só uma questão de alcatrão… mas são o sinal de uma mentalidade que nos entrou nas veias, a mentira de fazer da vida uma carreira, que nos impede de nos sentarmos nos bancos de jardim do coração a partilhar o dia com os amigos porque, na verdade, não há amigos mas sim adversários.

Se os critérios light e descartável fossem só uma questão de calorias e vasilhame… mas são o sinal de uma superficialidade que se nos colou ao coração e vai reduzindo as nossas relações a encontros à flor da pele e atitudes que não transformam mais que a casca da vida. Se todos nos déssemos conta de que criar relações verdadeiramente humanas é optar por viver em atitudes e gestos de bem-querer e atenção aos outros, de compromisso vital para que ninguém fique mais triste, pobre ou infeliz por nos ter conhecido…Se percebêssemos que este é exactamente o segredo mais profundo da nossa construção pessoal…Se tivéssemos os olhos bem abertos, perceberíamos que só o amor nos constrói…E se tivéssemos o coração suficientemente disponível para assumir o amor como sentido dos nossos dias, tenho a certeza que seríamos muito mais felizes!

Rui Santiago cssr

1 comentário:

Flôr disse...

Ao ler este post, veio-me à ideia um corinho que diz:

Um dia uma criança me parou
olhou-me nos meus olhos a sorrir
caneta e papel em sua mão
tarefa escolar para cumprir

E no meio de um sorriso
perguntou o que é preciso
para ser feliz?

....

AMAR COMO JESUS AMOU
SENTIR COMO JESUS SENTIA
SORRIR COMO JESUS SORRIA
E AO CHEGAR AO FIM DO DIA
EU SEI QUE DORMIRIA MUITO
MAIS FELIZ!

(Já não me recordo muito bem da letra, mas vou procurar, pois tenho-a lá por casa e irei postar no meu "jardim"... que engraçado, como este coro me veio à ideia, ao ler este post! È o Senhor a dizer-me como posso ser feliz no meu dia-a-dia! Fazendo tudo, como Ele o faria!)