domingo, 4 de novembro de 2007

Quero


Proposta de Jorge Bucay sobre as relações interpessoais que foi publicada originalmente no prólogo do livro "Cartas para Claudia".

Quero que me oiças sem me julgares
Quero que me dês a tua opinião sem me aconselhares
Quero que confies em mim sem me exigires
Quero que me ajudes sem tentares decidir por mim
Quero que cuides de mim sem me anulares
Quero que olhes para mim sem projectares as tuas coisas em mim
Quero que me abraçes sem me asfixiares
Quero que me animes sem me empurrares
Quero que me apoies sem te encarregares de mim
Quero que me protejas sem mentiras
Quero que te aproximes sem me invadires
Quero que conheças as coisas que mais te desagradem em mim
Que as aceites e não pretendas mudá-las
Quero que saibas... que hoje podes contar comigo...
Sem condições.


Jorge Bucay, em "Contos para pensar"

4 comentários:

Mamanunes disse...

Companhia difícil de se encontrar, mas não impossível....
Lindo poema.
Um abraço

MAR disse...

foi bom ler este post porque ele apareceu na hora certa, no momento certo, na qualidade certa e quantidade certa. Percebes agora porque estou feliz, hoje?

SHALOM

Ana disse...

Com o passar do tempo

Precisas te lembrar disso Um beijo ainda é um beijo Um suspiro é somente um suspiro As coisas fundamentais se adaptam Com o passar do tempo E quando dois amantes se entregam Eles ainda dizem ... " Amo-te " Nisso tu podes confiar Não importa o que o futuro traga Com o passar do tempo A luz da lua e canções de amor Nunca estão fora de moda Corações repletos de paixão Ciúmes e ódio A mulher precisa do homem E o homem precisa ter o seu par Isto ninguém pode negar Ainda é a mesma antiga história Uma disputa por amor e glória Um caso de matar ou morrer O mundo sempre acolherá os amantes Com o passar do tempo
(As time goes by)
É a tradução da música "As time goes by"
Com todo o meu amor...

Constança disse...

Adoro Jorge Bucay e acho espectacular a maneira como escreve. É impressionante como é que numa linguagem tão simples consegue dizer tudo o que sinto. Acho-o fantástico. Eu já tinha posto esse texto no meu blog porque acho extraordinária a ideia que ele passa. É fabuloso como ele descreve exactamente aquilo que o homem/a mulher procura numa relação. Ao fim e ao cabo, quando nos entregamos numa relação profunda queremos que seja construído um espaço "nosso" em que só "eu" e "tu" podemos entrar, mas queremos ao mesmo tempo que o "meu" espaço e o "teu" espaço permaneçam, sendo respeitados ao máximo. Como ele, mais uma vez, numa relação há três entidades o "eu", o "tu" e o nós".
Beijos